A-
A+
Sexta-Feira, 11 de março de 2011
Chuva beneficia arroz e algodão em Mato Grosso

Diferentemente de outras culturas a produção de algodão e arroz não sofreram impactos negativos provocados pelo excesso de chuvas em Mato Grosso. A pluma, cuja produção deve alcançar 994,2 mil toneladas nesta safra, não foi afetada porque ainda está em fase de germinação. O início da colheita está previsto para julho.

Conforme o levantamento da Conab, a produção de algodão deve aumentar em 70,4% neste ano em relação ao ano anterior, considerando que o ciclo passado foram registradas 583,5 mil toneladas. A área plantada terá crescimento de 56%, passando de 428,1 mil hectares para 669,1 mil hectares de um ano para outro. Segundo o diretor da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa), Alexandre De Marco, as vendas se mantêm aquecidas e os preços estão em alta com boas perspectivas para este ano. Segundo ele, a rentabilidade do segmento tem incentivado o aumento na produção.

No caso do arroz, a abundância de chuvas acaba beneficiando o cultivo do cereal. É o que explica o presidente do Sindicato das Indústrias do Arroz de Mato Grosso (Sindarroz-MT), Ivo Fernandes Mendonça. "A água é essencial para o cultivo do arroz". Mas o setor não tem muito o que comemorar, já que a produção do grão deverá ter queda de 7,4% nesta temporada se comparada à safra anterior, baixando de 742,7 mil toneladas para as atuais 687,4 mil toneladas. A área plantada também diminuiu, de 246,9 mil hectares para 223,4 mil hectares, retração de 9,5%.

Ivo comenta que a produção de arroz não segue uma tradição como é o caso do Rio Grande do Sul, que lidera a produção nacional com 8,459 milhões de toneladas. Ele afirma que a desvalorização do preço do produto impacta na produção. "Se outras culturas tiverem preços mais interessantes o produtor acaba não plantando o arroz. Foi o que aconteceu com o milho que tornou-se a preferência dos agricultores acostumados a cultivar o cereal em Mato Grosso". Além disso, ele acrescenta que mesmo a produção apresentando queda, ainda será suficiente para atender o consumo estadual, estimado em 250 mil toneladas/ano.

No caso do milho, a produção mato-grossense deve cair 5,8%, conforme a Conab. A estimativa para esta safra é que sejam colhidas 7,644 milhões de toneladas, ante 8,118 milhões (t) registrados na temporada 2009/2010. (Fonte)

Postado por: NewsComex - Comércio Exterior e Logística
Imprimir
Enviar por e-mail
< anterior | seguinte >
Anuncie | Quem Somos | Fale Conosco | Asses. de Imprensa
Copyright 2008 © Portal NewsComex - Todos os direitos reservados. Uma empresa do RM GROUP